terça-feira, 18 de junho de 2013

Concurso "Uma Aventura... Literária" - Menção Honrosa

Para além do texto crítico coletivo, os alunos do 4º ano também concorreram às categorias de desenho e texto original individual. O texto individual era livre, a única condição é que tinha que ser uma aventura.

Nesta última categoria 3 alunos receberam uma Menção Honrosa, um prémio especial do júri para os trabalhos que não ficaram nos primeiros lugares, mas que ainda assim merecem ser valorizados.

Agradecemos o esforço do júri do concurso em valorizar o desempenho das crianças, apesar dos prémios definidos inicialmente.

Gratos a todos os alunos pelo seu empenho e participação!


O Concurso de Patinagem
Estavam todas a treinar para o grande concurso de patinagem no gelo que em breve aparecerá na televisão. A professora de patinagem ensinara as suas alunas a fazerem grandes saltos mortais nas camas elásticas feitas de gelo.
Os patins de cada uma das raparigas que apresentavam os grandes espetáculos estavam identificados com os seus nomes completos. A cor dos patins da Gabriela eram beges e estes tinham muitos brilhantes às cores. O seu nome completo era Gabriela Cravo e Canela. A outra patinadora chamava-se Bruna e a cor dos seus patins era verde e estes tinham muitos corações vermelhos à volta. O seu nome completo era Bruna Miranda dos Santos. Por fim, a Catarina tinha os patins cor-de-rosa com várias purpurinas douradas. O seu nome completo era Catarina dos Santos.
 A professora subia para a cama elástica e mostrava às suas alunas o salto mortal que tinham de dar. A Gabriela foi a primeira a dar o salto e a professora adorou o seu esforço e até disse que o espetáculo ia correr lindamente se continuassem a ir todos os dias aos treinos dos saltos mortais. Quando a professora lhes disse que a Bruna e a Catarina tinham de dar o salto ao mesmo tempo na mesma cama elástica elas ficaram com medo, mas conseguiram fazê-lo.
Quando acabaram os treinos estavam a suar e decidiram ir para casa da Catarina tomar um banho bem quente. Puseram-se a andar e chamaram um táxi que as levou até Lisboa. Quando chegaram a casa tomaram o seu banho e foram jantar.
Logo a seguir foram dormir, pois tinham aulas de ginástica na manhã seguinte, dia 14 de dezembro. Elas ficaram muito contentes, porque era o último dia de aulas e tinham treinos todo o dia.
 Quando acordaram de manhã estavam muito bem-dispostas e foram logo tomar banho. Vestiram o fato de treino e foram para Massamá. Quando chegaram à escola de patinagem calçaram os patins e foram dar show para a pista de gelo. Deram 10 saltos mortais no ar. Elas ficaram eufóricas quando a professora lhes disse que o espetáculo era no dia 16 de dezembro e puseram-se até às 2 da manhã a treinar.
Na manhã seguinte, dia 15 de dezembro, tiveram de faltar aos treinos da manhã pois nem se conseguiam levantar da cama com tanto sono que tinham. Elas ficaram muito tristes, mas ao mesmo tempo contentes por ainda poderem descansar mais um bocadinho. Quando repararam que já eram 11 da manhã levantaram-se e tomaram banho. Elas vestiram os fatos de treino e foram para a escola de patinagem.
O nome da escola onde elas andavam era a pista de gelo de Massamá. Foram fazer o último treino até ao dia do grande espetáculo de patinagem. Naquele dia o alfaiate foi lá entregar os fatos para o espetáculo e o fato da Gabriela era bege e tinha muitos brilhantes às cores para condizer com os patins, o da Bruna era verde e tinha muitos corações vermelhos à volta que também era a condizer com os patins e o fato da Catarina era cor-de-rosa com muitos brilhantes dourados à volta. Além disso, também tiveram direito a umas bandoletes iguais aos patins e aos fatos.
O trabalho delas foi 100% excelente. Elas estavam prontas para o grande espetáculo de patinagem no gelo e saltos mortais nas camas elásticas feitas de gelo. Nesse dia, disseram-lhes que o espetáculo era às 8 da noite e terminava às 10 da noite. Elas disseram que àquelas horas estavam disponíveis e conseguiam ir atuar.
Elas foram treinar mais um pouco e a seguir foram para casa jantar e descansar para, no dia seguinte, acordarem com muita energia.
No dia seguinte, acordaram muito bem-dispostas e tomaram banho. Elas foram à rua comprar umas prendas para darem à professora e agradecerem tudo o que ela tinha feito por elas.
Elas chegaram a casa e almoçaram. Depois foram experimentar os fatos e serviram perfeitamente. Logo a seguir foram ver televisão e tomaram um refrescante banho de espuma fresca.
À noite, foram vestir o fato de treino e foram para a escola. Quando chegaram à escola maquilharam-se e vestiram os fatos. Começaram a dar espetáculo e a Gabriela deu 40 saltos mortais e arriscou dar um salto de 1 metro e não conseguiu partir o gelo. Ela conseguiu e ficou muito feliz. Logo a seguir, foi a Bruna e ela fez uma grande dança com o João. E também deu 10 saltos mortais de seguida no ar. A Catarina foi a melhor, pois conseguiu dar 100 saltos no ar e 33 cambalhotas. Os jurados decidiram que quem iria ganhar o concurso era a Catarina. Toda a gente aplaudiu e adoraram.
Elas chegaram a casa muito cansadas e decidiram ir tomar banho, comer e dormir. A semana delas foi assim e adoraram o concurso. Ninguém ficou triste, porque perceberam que o importante não é ganhar, mas sim participar. Foi uma grande experiência para elas.


Marta Miranda



Os Aventureiros

Era uma vez um grupo chamado “Os Aventureiros” e desse grupo faziam parte a Alice, a Matilde, o João e o Pedro.
Eles combinaram uma viagem até Timor e iam de barco.
Eles já estavam cansados e decidiram fazer uma pausa. Quando voltaram, o barco tinha desaparecido.
A Alice disse:
-Aonde está o barco?
-Ali adiante. - disse a Matilde.
Para eles lá chegarem iam precisar de uma mota a motor. Eles encontraram um homem que os levou. Eles arrumaram as bolas e foram dar um passeio.
Eles viram imensos bichos como: lagartas, um crocodilo, aves de peito azul e etc…
À noite aquilo era lindo e o mar limpo. Enquanto passeavam eles viram um labirinto e separaram-se para tentar encontrar a saída.
Quando o Pedro chegou à porta viu um monstro e disse:
- Socorro!!!
Todos riram quando se aperceberam que era um boneco só para assustar. O Pedro ficou um pouco envergonhado.
Eles viram muitas plantas e a seguir foram para o hotel.
De manhã, arrumaram as malas e foram-se embora.
Quando chegaram a casa fizeram um livro sobre Timor e contaram tudo aos pais.
                                             Mariana Simões      




O Monstro Carlos

Era uma vez um Monstro chamado Carlos. O Carlos era alto, tinha cornos de um metro, tinha um pescoço curto, andava de quatro patas, tinha uma cauda grande com espinhos e tinha dentes grandes e afiados.
As pessoas quando o viam gritavam e corriam o mais rápido que as suas perninhas conseguiam.
O Carlos queria ter um amigo ou uma amiga.
Um dia, dois grandes irmãos chamados Amanda e João foram à floresta apanhar comida, porque os seus pais estavam doentes. Os dois irmãos perderam-se na floresta. Eles tiveram muito medo porque sabiam que ali vivia o monstro Carlos.
O monstro Carlos, como tinha um olfato muito apurado, detetou-os com facilidade. Ele como tinha uma velocidade supersónica chegou lá num segundo.
Quando os dois irmãos o viram começaram a correr à máxima velocidade, mas como o monstro Carlos conseguia falar disse para não correr e eles pararam.
Os dois irmãos disseram em coro:
- Como é que tu falas?
E o Carlos disse que falava porque nasceu e viveu dentro de uma casa com humanos e foi aprendendo aos poucos e poucos até conseguir falar.
Eles ficaram logo bons amigos. Os dois irmãos perguntaram se podiam ver a casa do monstro Carlos e ele disse que podiam lá ir quando quisessem. Então eles subiram para as costas do Carlos e foram para a gruta.
Quando lá chegaram havia ossos por todo o lado e mau-cheiro. Então os dois irmãos limparam a casa toda. O Carlos agradeceu. Os irmãos e o Carlos combinaram um sítio onde brincar.
No final do dia, os irmãos pediram para voltarem para casa. O monstro levou-os para casa às costas pelos céus.
E viveram felizes e amigos para sempre.

Rafael Cosme         

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo